o drama do ócio

ando desconfiado de que não tenho muito para escrever aqui. não tenho um tema para este blog. vou falar de mim? acho que a primeira intenção foi exorcizar alguns pensamentos, sim. agora depois de perder algum tempo a arranjar a página, que nunca estará acabada, não me parece tão lógico cuspir práqui 500 factos sobre a minha vida pessoal sem qualquer tipo de ordem, nem contexto, a pessoas que não conheço ou se conhecer, tanto pior.

vou inventar uma profissão, um carácter, uma vida, misturo-os com os os meus, e faço psicanálise disfarçadamente.

entretanto já falei nisto a alguns amigos, o que me vai estreitar as manobras. foi estúpido, mas acho que foi a maneira de saber que isto teria uma ou duas visitas pontuais. mesmo assim é bem possível que não venham cá uma única vez. não são bem amigos. eu não tenho amigos. excepto os pombos daqui do bairro.

4 comentários:

Anónimo disse...

Em nome dos restantes pombos do bairro, venho por este meio anunciar que não somos teus amigos, o que se pode comprovar facilmente pelo estado em que está o teu carro.
Passar bem.

Marta disse...

ahahah! Gostei do comentário do Pombo, só poderia ser de uma fábula de La Fontaine. Muito bom!

Johnny Guitar disse...

Andamos todos ao mesmo.

Unknown disse...

Engraçado. Comecei a ler os posts...